Olhe ao seu redor. Esfregue os seus gravetos mentais e acenda um fogo. Acorde o macaquinho do sótom-mental. Eles estão lá, estão por toda a parte, e sustentam o seu mundo. É só ver. O que eles significam? Pra mim? Hum... bem... o que eles significam para você? Veja, simplesmente veja-os. Afinal, as maiores viagens também começaram com um único passo.

quinta-feira, fevereiro 23, 2006

Carnaval

Pobre Pierrot chorando a ausência da Colombina dançando com a bailarina que não se equilibra nas pontas dos pés...
Piratas falsos sem perna de pau dançando com odaliscas que não vieram do Oriente...
O prisioneiro sem identificação flertando com a mulher das cavernas que nasceu nos dias de hoje...
O pobre vampiro que não bebe sangue buscando pelo salão a fada verde que o abandonou...
Mas sabe ele que ela prefere o super homem...
Diabinhas, mágicos, baianas, jogadores de futebol rodopiam pelo salão num turbilhão de brilhos e luzes...
Poersonagens de um sonho maginário que acaba na tarde silenciosa de uma quarta-feira
Que é lavado embora com uma chuva de álcool e confete com serpentina
Que voa longe como a felicidade das pessoas que é fake e passageira
Sonhos de festa e amores duradouros que se sabe quando acabam
E o fim sempre chega e nunca tarda
No sono solitário após a noite de prazeres, o folião sonha com o sorriso da passista que nem mesmo notou sua presença
O namorado indaga onde esteve aquela amada sua
Velhas senhoras se recordam dos carnavais que já passaram desejando a volta dos tempos de antigamente
A magia se apaga na porta do salão ao fim do baile e de mais um sonho
Ao folião resta apenas uma vaga lembrança borrada pela música e pela cerveja
Vamos nos perder nesta tempestade de esperanças com prazo de validade e ter novas histórias para contar.


(Saca-Rolha)
As águas vão rolar
Garrafa cheia eu não quero ver sobrar
Eu passo mão na saca saca saca rolha
E bebo até me afogar
Deixa as águas rolar
Se a polícia por isso me prender
Mas na última hora me soltar
Eu pego o saca saca saca rolha
Ninguém me agarra ninguém me agarra

(Turma do Funil)
Chegou a turma do funil
Todo mundo bebe
Mas ninguém dorme no ponto
Aí, aí, ninguém dorme no ponto
Nós é que bebemos e eles que ficam tontos
Eu bebo, sem compromisso,
com meu dinheiro, ninguém tem nada com isso
Aonde houver garrafa, aonde houver barril
Presente está a turma do funil

Divirtam-se

Volte sempre e use filtro solar.